aretha Nenhum Comentário

São dois os grandes desafios quando tratamos desse tema: De um lado, fortalecer a atenção primária, valorizando medicina da família e a equipe multiprofissional; de outro, ampliar o acesso a medicamentos e garantir maior adesão a tratamentos.

Para o Instituto Coalização Saúde, isso se torna possível ampliando-se a atenção primária – expandindo-a de maneira significativa nos setores público e privado –, e aumentando a capilaridade da atenção primária com equipes multiprofissionais.

É importante também valorizar o médico de família e adaptar a formação médica no país para viabilizar esse movimento e estabelecer regras claras para a utilização de medicamentos baseada em evidências científicas.

Definir a política de compra de medicamentos com base em estratégias nacionais também se mostra fundamental. Assim como criar mecanismos de financiamento de medicamentos, voltados para programas de gratuidades no setor público e copagamentos no setor privado, e aprimorar a gestão de uso de dados para o acompanhamento de indicadores de prescrição adequada, com base em protocolos clínicos, e na adesão ao tratamento.

Texto criado com excertos do Caderno de Propostas – Coalizão Saúde Brasil