aretha Nenhum Comentário

Estabelecer processo e governança para protocolos clínicos de referência nacional, e implantar diferentes modelos de remuneração (buscando maior alinhamento de incentivos) são duas etapas que não podem ser esquecidas quando falamos em alternativas mais eficientes e sustentáveis de modelos de gestão em saúde.

A lista de ações para atingirmos esse objetivo começa por tornar os processos atuais da CONITEC no SUS mais participativos e robustos, assim como aumentar a adesão às recomendações da CONITEC.

Confira as estratégias apresentadas pelo ICOS em sua publicação Caderno de Propostas – Coalizão Saúde Brasil:

  • Estimular maior participação do setor privado.
  • Viabilizar a integração com agências de saúde nacional e internacionalmente.
  • Desenvolver protocolos clínicos, com a criação de grupos de medicina baseada em evidências para complementar o trabalho e incentivando a sua utilização.
  • Medir e adotar indicadores nas três dimensões principais de criação de valor para a sociedade: qualidade, desfecho e custos.
  • Criar base de dados consolidada contendo a evolução dos indicadores.
  • Definir os parâmetros do modelo:

– Identificar oportunidades através da análise dos indicadores e tendências.

– Definir os objetivos a serem alcançados.

– Definir o modelo de pagamento que gere os incentivos corretos.

– Definir metas específicas e requisitos mínimos para os indicadores.

  • Implantar novos modelos de remuneração:

– Realizar pilotos do modelo de remuneração discutido.

– Ajustar conforme a necessidade.

– Implementar o modelo testado e validado.

– Acompanhar continuamente indicadores comparando-os com os objetivos.

– Tomar ações corretivas quando necessário.

Texto criado com excertos do Caderno de Propostas – Coalizão Saúde Brasil