aretha Nenhum Comentário

A experiência internacional de troca de informações em saúde é vasta e traz ensinamentos importantes para quem inicia essa jornada, tanto do ponto de vista de modelos de operação, estrutura e recursos necessários, como também sobre os fatores críticos de sucesso.

Modelo de operação, estrutura e recursos –  Health Information Exchange Organizations (HIO) é o nome dado às organizações incumbidas de supervisionar e garantir a governança da troca de informações de saúde entre as instituições que desejam compartilhar dados. Oferecem diversos serviços para as instituições integrantes, como, por exemplo, acesso ao prontuário eletrônico, busca de dados clínicos, alertas de eventos, entre muitos outros.

O modelo de operação é normalmente decorrente da fonte de financiamento, podendo ser com ou sem fins lucrativos ou de utilidade pública. Não obstante, outras formas indiretas de levantamento de recursos são possíveis como, por exemplo, através da redução de custos no caso de hospitais ou aceleração de projetos de pesquisa ou estratégias mais eficientes de marketing para farmacêuticas. O escopo da informação trocada pode variar de acordo com o que esteja disponível ou seja necessário para a tomada de decisões clínicas ou de gestão.

Fatores críticos de sucesso –  A experiência de outros países na construção de uma organização para troca de informações em saúde mostra que, além do financiamento, há numerosos aspectos a serem considerados, como, por exemplo e entre outros, a integração com o fluxo de trabalho do provedor de saúde, estabelecimento de padrões técnicos, parcerias com governos, colaboração com políticas governamentais, modelo de governança robusto, além do cumprimento com os requisitos legais de privacidade da informação e consentimento do paciente. Esses fatores críticos de sucesso envolvem aspectos bastante amplos e não relacionados, e requerem um esforço conjunto e concentrado por todos os atores que compõem o sistema de saúde. Embora possam envolver barreiras e criar dificuldades, não são intransponíveis.

Retirado da publicação Consolidação E Uso De Dados Em Saúde: Visão Integrada Dos Setores Público E Privado